O documentário que retrata a descoberta do Canadá pelos portugueses foi o vencedor do Troféu ‘Kodiak’ nos Prémios Internacionais do Festival Internacional de Cinema do Alaska, anunciou hoje a organização.

“Nos mares da memória – estórias de uma faina maior”, conquistou a categoria de melhor documentário no festival internacional dos Estados Unidos, que contou com várias centenas de filmes a concurso provenientes de vinte e quatro países.

O filme da autoria do realizador Rui Bela e com guião de Senos da Fonseca, já tinha conquistado o primeiro prémio no Barcelona Planet International Film Festival (Espanha) em fevereiro passado.

“Nos mares da memória – estórias de uma faina maior”, foi ainda nomeado para nove festivais em vários países (Portugal, Itália, Canadá, Roménia, Bélgica).

O documentário teve a sua estreia em dezembro de 2015, no Museu Marítimo de Ílhavo e resulta de um “projeto de vídeo com a singularidade ímpar quer em Portugal, quer a nível internacional”.

“O filme dá ênfase à arte da pesca experienciada e sentida por portugueses, bascos, espanhóis, franceses e ingleses ao longo de cinco séculos de história, granjeando e preservado as inúmeras lembranças desde passado tão presente  para alguns”, afirmou Rui Bela.

O obra cinematográfica nasce na sequência de “muita investigação e empenho na recolha e tratamento de todos os conteúdos”, e não pretende de qualquer forma “enunciar tudo o que a matéria proporciona”, mas deseja simplesmente “ser o mais abrangente possível”, numa perspetiva histórica”, destacando os fatos mais relevantes e até agora não patenteados.

“Se Portugal tivesse que enumerar alguns dos seus feitos mais gloriosos, a descoberta dos mares gelados da Terra Nova e da Gronelândia, bem como a pesca do bacalhau, seriam certamente dois deles”, acrescentou.

O documentário tem sessenta e seis minutos de duração, encontra-se atualmente a concurso em diversos festivais internacionais, promovendo e dinamizando desta forma a cultura portuguesa.

416news.com

Direitos Reservados