O Papa Francisco recebeu quarta-feira no Vaticano, pela primeira vez, a visita do presidente dos EUA, Donald Trump, num encontro privado marcado por mensagens de paz.

Após o tradicional aperto de mãos, os dois responsáveis sentaram-se frente a frente na biblioteca do Papa, com a ajuda de intérpretes, durante cerca de 30 minutos, tendo sido possível ouvir Trump a referir que esta era uma “grande honra”.

Francisco saudou depois a primeira-dama dos EUA, Melania Trump, a filha mais velha de Trump, Ivanka, e o seu marido, Jared Kushner, antes da troca de presentes.

O Papa Francisco ofereceu a Donald Trump as edições em inglês da mensagem para o Dia Mundial da Paz 2017 – dedicada à não-violência -, assinada “especialmente” para o presidente dos EUA; das exortações “A Alegria do Evangelho” e “A Alegria do Amor”, sobre a família; bem como do documento sobre “o cuidado da casa comum”, a carta encíclica “Laudato sí”, com temas ecológicos.

Como acontece habitualmente com os chefes de Estado, Francisco ofereceu também um medalhão do seu pontificado com dois ramos de oliveira entrelaçados, símbolo da paz que se sobrepõe à guerra, explicando detalhadamente o seu significado.

“É um dos meus grandes desejos, que possa ser como a oliveira, para fazer a paz”, disse.

Donald Trump presenteou o Papa com um conjunto de livros de  Martin Luther King, conhecido pelo pelo seu empenho a favor dos direitos humanos e civis da comunidade negra nos EUA, que tem sido uma referência em vários escritos de Francisco.

A delegação do presidente norte-americano incluiu o seu secretário de Estado, Rex W. Tillerson, e o conselheiro de Segurança Nacional, H. R. McMaster.

Ao despedir-se do Papa, o chefe de Estado dos EUA disse: “Obrigado, não me esquecerei do que disse”.

Já na rede social Twitter, o presidente norte-americano evocou o encontro: “Foi a honra de uma vida encontrar-me com Sua Santidade o Papa Francisco. Deixo o Vaticano mais determinado do que nunca em procurar a paz no nosso mundo”.

Trump encontrou-se em seguida com o secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, acompanhado por D. Paul Gallagher, secretário do Vaticano para as relações com os Estados.

Por causa do encontro oficial, a tradicional audiência pública das quartas-feiras começou meia hora mais tarde, em relação ao habitual, na Praça de São Pedro, pelas 10h30 locais.

A primeira-dama dos EUA, Melania Trump, fez uma visita ao Hospital Pediátrico do Menino Jesus, propriedade da Santa Sé, em Roma.

Ivanka Trump, filha do presidente norte-americano, foi recebida pela comunidade católica de Santo Egídio, no contexto de um encontro sobre o combate ao tráfico de pessoas.

Flash Animation​​​​​​​​​​​

Story from bomdia.lu