Segundo o dicionário Houaiss, dançar é “movimentar o corpo com intenção artística, obedecendo a um determinado ritmo musical, ou como forma de expressão subjetiva ou dramática” ou “executar qualquer movimento corporal ritmadamente”. Pudemos também acrescentar que a dança está numa linha ténue entre atividade física e arte porque pode ter os mesmos benefícios do desporto e ser uma expressão artística. No inverno a dança é uma excelente saída para melhorar a qualidade de vida e ganhar mais energia.
Em Toronto há a academia Baila Toronto que é administrada pelo casal Victor Mendonça e Fernanda Santos. As aulas são de “samba de gafieira” e ocorrem duas vezes por semana. O preço de uma hora de aula custa CAD$ 12,50 mas pode haver desconto se aderir um pacote. Para se inscrever e ter mais informações é só visitar o site www.bailatoronto.ca, a página no Facebook www.facebook.com/bailatoronto ou contactar-nos pelo email info@bailatoronto.ca. Os níveis são iniciante, intermédio e avançado.
A instrutora Fernanda Santos explicou quais são os benefícios da dança. “A dança ajuda a socializar porque as aulas são em grupo e o aluno dança sempre com outra pessoa. Além disso ajuda a combater a solidão que aqui em Toronto é muito comum. É importante para ter uma postura correta e, por ser uma atividade física, liberta as hormonas do prazer: a endorfina. A sensação de bem-estar é maior”, explicou. “Outro fator importante é que no frio ajuda a combater a tristeza que sempre chega no inverno porque os dias ficam mais cinza e o sol aparece pouco”, concluiu.
O instrutor Victor Rocha explicou como as aulas funcionam. “Nosso intuito é ensinar a uma pessoa que não sabe dançar. Esse é o nosso ideal. No nosso grupo há pessoas que chegaram aqui, que sabiam muito pouco e tiveram uma evolução enorme”, explicou. “Outro fator importante é que queremos disseminar a cultura brasileira através da dança. Não é à toa que no nosso grupo de alunos atual há pessoas nascidas em outros países, como a República Checa, Argentina e o próprio Canadá. Além de brasileiros, claro”, completou.
Rocha explicou que ele quer também formar alunos para fazer apresentações e ter monitores para auxiliar os professores nas aulas.


Via Milenio Stadium